quinta-feira, 29 de novembro de 2012

STF condenou mensaleiros a 282 anos de prisão


Supremo Tribunal Federal

282 anos de prisão para os corruptos do governo Lula


Dos 37 acusados, 25 foram condenados pelo STF - Supremo Tribunal Federal - por um dos escândalos de corrupção mais vergonhosos do país em toda sua história. Foram 282 anos de prisão e R$ 22,7 milhões de multas, 49 sessões em 4 meses de julgamento. Dos 25 condenados pelo menos 13 cumprirão suas penas, inicialmente, em regime fechado.

A maior pena foi de Marcos Valério Fernandes de Souza: 40 anos, 4 meses e 6 dias pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Considerado o principal réu do processo, José Dirceu foi condenado a pena de 10 anos e 10 meses. Foi ele que organizou e comandou todo esquema de corrupção para captação de dinheiro e compra de votos dos deputados da base aliada, denúncia feita por Roberto Jefferson, então presidente do PTB e também condenado. Dirceu vai cumprir em regime fechado pelo menos um ano e 10 meses. 

Além de Valério e seu sócio Hollerbach, Cristiano Paz, Simone Vasconcelos, os ex-dirigentes do Banco Rural Kátia Rabello e José Roberto Salgado e o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato tiveram penas muito maiores que Dirceu. João Paulo Cunha, também do PT, foi condenado a 9 anos e 4 meses. Delúbio Soares, Corrêa (PE), Rogério Tolentino, Vinícius Samarane, Costa Neto e Pedro Henry também foram penalizados. O ex-presidente do PT José Genoino e Jefferson poderão cumprir em semiaberto.

O novo escândalo - Operação Porto Seguro - envolve gente graúda do PT em atos de corrupção e tráfico de influência, quadrilha desbaratada pela Polícia Federal.