terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Reinaldo Azevedo comenta o besteirol de Marco Maia

O despreparado Marco Maia,
 presidente da Câmara dos Deputados


10/12/2012
 às 19:16

E agora, Marco Maia? Os companheiros vão cercar o Supremo?

Marco Maia (PT-RS), na reta final de seu mandato como presidente da Casa, decidiu ver crise institucional onde não existe e, repetindo procedimento padrão dos petistas, achou que poderia intimidar o Supremo. Anteviu que, se o tribunal decidisse contra a sua pretensão – segundo ele, mandatos só podem ser cassados pelas respectivas casas do Congresso –, haveria um choque de Poderes ou algo assim.
Pois é… Então ele terá agora um choque. E como vai administrar? Pedirá a seus partidários que cerquem o Supremo? Maia se esqueceu de que os Poderes, numa República, são independentes e harmônicos, mas quem tem a última palavra em matéria constitucional é o Supremo, não a Câmara dos deputados.
E era disto que se cuidava e se cuida: de interpretar a Constituição. Sim, a Carta carrega ambiguidades no que diz respeito à cassação de mandatos, mas também apontava, como destaquei aqui, a solução.
E agora? De que modo Maia pretende descumprir uma decisão do Supremo?
Por Reinaldo Azevedo