segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Provável futuro presidente da Câmara Federal é acusado de enriquecimento ilícito

Henrique Eduardo Alves, US$ 15 milhões em
contas bancárias no exterior, não declarados

Henrique Eduardo Alves conseguiu adiar decisão sobre quebra de sigilo fiscal e bancário por meio de recurso judicial. Ele é o favorito para presidir a Câmara dos Deputados daqui a três semanas, com o apoio de Dilma . Henrique Eduardo Alves (RN), é acusado pelo Ministério Público Federal de enriquecimento ilícito numa ação de improbidade administrativa. Durante o processo de separação judicial dele com Mônica Infante de Azambuja ela o acusou de manter US$ 15 milhões em contas não declaradas. Afinal, num país onde condenado por corrupção e formação de quadrilha assume como deputado, presidente transforma sala presidencial em motel e amante manda como ministra, ter um suspeito por enriquecimento ilícito comandando a Assembléia Federal não destoa em quase nada.