sábado, 2 de março de 2013

Dilma critica pessimistas diante de PIB baixo

Crítica ao pessimismo: mas o PIB não sobe
Repetindo a mesmice, Dilma Rousseff, ao discursar no encontro do PMDB, disse que "a indústria dá claros sinais de retomada" contrariando os números e a realidade da economia. Chamou os críticos de “mercadores do pessimismo” que apostam no pior para o Brasil, um discurso manjado e reiteradas vezes repetido por presidentes que não conseguiam conter a inflação, caso dela. 

A presidente repete a exaustão a medida de redução das tarifas de energia - meramente política e irresponsável - e queda da taxa de juros como forma de incentivar o consumo. Neste caso o efeito foi o registro de importação maior de produtos e queda da atividade industrial brasileira o que, consequentemente, eleva a inflação.

o Brasil teve, desde 2009, um crescimento ridículo de 0,9%, confirmado por dados do IBGE - que apontou também a queda do setor industrial em 0,8%. Dilma previa um crescimento de mais de 4,5%, mais tarde reduzido para 4% e acabou com míseros 0,9%. As medidas, como a redução da tarifas de energia, visam as próximas eleições e cobrarão alto preço brevemente.