quinta-feira, 14 de março de 2013

Eleição de um papa argentino não foi bom para Cristina.

O então Cardeal Jorge Mario, Nestor e Cristina Kirchner:
adversários políticos
Odiada em seu país e alvo de frequentes panelaços, a presidente Cristina Kirchner ganhou mais um inimigo e de peso: o Papa Francisco com quem o kirchenerismo nunca se deu. O então cardeal de Buenos Aires Jorge Mario Borgoglio, idolatrado pelos argentinos, sempre se posicionou contra os projetos sociais de Nestor no momento que a população chegou a passar fome no país decorrente das sucessivas barbeiragens econômicas praticadas pelo então presidente. Com Cristina o embate maior foi contra o projeto do casamento gay. 

Com uma política econômica desastrosa, inflação alta, crescimento baixo, corrupção em todos os meios governamentais e um povo faminto, tudo o que Cristina não precisava era um papa argentino historicamente aposto.