segunda-feira, 11 de março de 2013

Mercado financeiro prevê inflação alta em 2013. Taxa de juros vai subir também


A inflação, este ano, deve chegar em 5,82%, prevê o mercado financeiro diante dos fatos e números analisados. Alguns acreditam que a inflação suba mais se a taxa de juros cair abaixo de 7,5%. Isto está na pesquisa Focus, divulgada pelo Banco Central. 

Dilma Rousseff , contrariando o mercado, tenta usar a queda de juros como mote de campanha política. Porém, quanto mais derruba a taxa de juros, mais sobe a inflação. Por uma razão não tão simples de ser explicada, mas bem argumentada pelas experiências anteriores: reduzindo os juros, aumenta a oferta de financiamento ao consumidor e, consequentemente, a demanda consumista. Isso provoca inflação porque as indústrias estão em queda de produção.

A taxa de juros é um mecanismo que vinha sendo utilizado pela política mais ortodoxa para controlar a inflação. Lula manteve seu uso e obteve bons resultados. Mas foi deixado de lado pelo governo de Dilma que preferiu o controle artificial dos preços dos combustíveis e energia elétrica, por exemplo. Os resultados foram inflação alta e crescimento econômico baixo. O país conseguiu crescer apenas 0,9% diante de uma previsão de 4,5%.

O IBGE publicou na semana passada que, em fevereiro, a inflação ano a ano chegou a 6,31% com tendência a crescer. E os combustíveis sofreram reajustes.

A taxa Selic deve chegar a 8,5% ou mais até o final do ano. Para Dilma resta um caminho: ou baixa os juros com inflação alta ou baixa a inflação com juros mais altos.