sábado, 29 de junho de 2013

Dilma não vai ao Maracanã

Presidente Dilma é vaiada durante a abertura da Copa das Confederações
Dilma, longamente vaiada na abertura da Copa das Confederações.
Discurso foi substituído por constrangimento

Dilma foge do estádio com medo das vaias

Medrosa de levar outra mega vaia, a presidente, que despencou nas pesquisas, foge da final de Brasil x Espanha, amanhã no Maracanã. O Brasil pode ser campeão da Copa das Confederações mas a presidente foi aconselhada não se expor.

Lula, provável substituto de Dilma como candidato a presidência também não se arriscará a comparecer. No Rio de Janeiro, durante os jogos Pan Americanos, o então presidente foi longamente vaiada quando anunciado nos alto falantes. Antes das manifestações Dilma já tinha antecipado que estaria no estádio, na final dos jogos. Seu nome não seria citado com a sua chegada. Cinco horas antes o entorno do estádio será cercado pela polícia e o sistema de segurança obedecerá o padrão da Fifa.

Nas pesquisas realizadas pelo Datafolha após as manifestações, Dilma caiu 27 pontos (de 57% para 30%). Na tentativa de "agradar" os manifestantes a presidente lançou a ideia inconstitucional de um plebiscito.

Das ruas surgem novas perguntas: para acabar com a corrupção e os desmandos políticos não é preciso de plebiscito, basta ter vergonha na cara.

E isso é o que ela e o congresso não tem.