terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

A ditadura avança contra o Google

PT investe contra o Google. Empresa pagou 540 milhões de reais
em impostos em 2012 e emprega 600 funcionários.
"Google está virando o grande monopólio da mídia", diz Paulo Bernardo, ministro das Comunicações "e isso tem que ser colocado em pauta". Infantilmente o ministro petista diz que a intenção não é controlar o conteúdo. A sanha de investir contra as redes na web tem muitas justificativas e uma delas é que o método atual do governo federal de "pagar" blogueiros chapa branca em forma de patrocínio não tem repercutido positivamente. Mais barato é censurar.

Na verdade a ditadura avança sobre a internet e a intenção é dominar os meios privados de comunicação, como em todo estado totalitário, como na falida URSS, onde todos os setores de informações eram controlados pelo governo. Um único jornal se destacava, o Pravda, que era leitura obrigatória por não existir outro.

Igualmente em Cuba existe apenas um jornaleco, o Granma, órgão oficial do Partido Comunista, controlado pelos velhotes assassinos da ilha. Na Venezuela o paspalhão Hugo Chavez - guru de Lula e Dilma e da esquerda latino americana - fez pressão econômica sobre os canais de televisão que faziam críticas ao governo. Na Argentina a estúpida Cristina Kirchner tenta calar jornais e TV do Grupo Clarin. Na Coréia do Norte, país comunista onde 18 dos 24 milhões de habitantes passam fome, nenhuma liberdade é respeitada.

Notícias controladas pelo governo
comunista de Cuba no único jornal
autorizado pela "revolução". 
A experiência brasileira de censura vem antes da revolução dos militares. O ditador Getúlio Vargas calou a imprensa de  1930 a 1945, enquanto esteve na presidência que ele conseguiu graças a um golpe também militar. O jornal O Estado de São Paulo foi a grande vítima no período.

Bernardo diz claramente: "Sou favorável à regulação da mídia, inclusive a internet". Isso significa censura, nada aquém ou além. Na China, cujo governo - só o governo, porque o mercado é capitalismo selvagem - é comunista, não há eleições e a mídia também sofre pressão do partido comunista. Facebook é proibido e outros meios sociais são controlados.

O Google disse ao Estadão que tem investido "centenas de milhões de dólares no País" desde 2006. "Temos um centro de engenharia em Minas Gerais e uma presença significativa em São Paulo. O Google emprega mais de 600 pessoas no Brasil e em 2012 nós recolhemos mais de R$ 540 milhões em impostos para as diversas esferas do governo brasileiro. Nós pagamos todos os impostos que são devidos no Brasil", afirmou a empresa.

Decisões políticas guiadas pelo interesse de se perpetuar no poder, desrespeito as liberdades, desprezo pelas instituições, é assim que agem os ditadores no atual governo. 

A história já nos mostrou que isso não funciona.