segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Compra de votos


Por Edson Joel

O candidato a cargo eletivo no Brasil - de presidente a vereador - para ser eleito, precisa pagar o eleitor que troca o voto por algum benefício imediato.  Ou um cargo. Literalmente, comprar votos. Alguns são descobertos, processados e cassados. A maioria passa incólume.

Cerca de 28% dos entrevistados de uma pesquisa encomendada pelo TSE - Tribunal Superior Eleitoral - revelaram que presenciaram ou tiveram conhecimento de venda de votos nas eleições de 2014. Ouviram cerca de dois mil eleitores entre 18 e 60 anos, de todas as classes. Como se sabe a Lei 9.504/97 pode cassar o registro ou diploma do candidato se se provar a falcatrua. Diz a lei que o político não pode oferecer, prometer ou dar ao eleitor nenhuma vantagem pessoal para conseguir seu voto. Basta uma evidência do ato criminoso. Pelo menos diz a tal lei.

Bem, neste caso, 90% dos políticos certamente estariam banidos, mas não é o que se vê. Pelo menos Lula foi empossado e Dilma, apesar de tudo, ainda continua no cargo e nem todos os deputados que receberam mensalões foram punidos. Se fossem, o congresso estaria fechado e a presidente reeleita que utilizou verba irregular, prédios e funcionários dos Correios 
para sua campanha, estaria impedida. 

Qualquer político que ler isso aqui tem ciência do que falo e, intimamente, concordará. Em sua defesa pode verbalizar o oposto, mas sabe que é hipocrisia. É a lei das urnas. E tem sido assim desde o vale leite ou cesta básica até aos bolsas família, gaz, presídio. O PT profissionalizou-se em compra de votos de senadores, deputados, imprensa e ultimamente vem pagando pseudo formadores de opinião para defender a presidente. Como o caso de Jô Soares.

A Lei da Ficha Limpa pode ter impedido alguns registros de candidatos nas últimas eleições mas está longe de ser um instrumento garantidor de eleições limpas enquanto existirem políticos pagando e eleitores vendendo seus votos, a melhor arma para se construir uma democracia séria. A eliminação da urna eletrônica é outra necessidade para tornar o processo eleitoral mais seguro.