domingo, 13 de julho de 2014

A puta goza, o traficante cheira e os bispos enaltecem comunistas!

CNBB chama socialista que faleceu de “exemplo de cristão na política”

Plínio de Arruda Sampaio
O Brasil é realmente um espanto! A puta goza, o traficante cheira e os bispos enaltecem comunistas! É isso mesmo. Faleceu essa semana Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, figura caricata da nossa esquerda radical. E eis que dom Leonardo Steiner, bispo da CNBB, solta uma nota afirmando que ele era um “exemplo de cristão na política”.
Dom Leonardo ainda ressalta que em Plínio encontrava-se um interlocutor que sabia ler a realidade brasileira à luz da fé. “A vida de cristãos como ele engrandece o nosso país e incentiva a outros cristãos a testemunham a alegria do Evangelho”, resume.
Sei que não pega bem, ainda mais no Brasil, falar mal dos mortos, especialmente aqueles que faleceram recentemente. Mas não posso deixar de destacar, em respeito à honestidade intelectual, que estão equivocados aqueles que repetem que Plínio era um exemplo de coerência na política. Não era.
Um defensor do socialismo, com um discurso igualitário, que tinha patrimônio milionário, parte investida até em fundos de multimercado? Um socialista especulador? Não sei quanto ao leitor, mas não vejo muita coerência nisso, e sim certa hipocrisia, de quem gosta de enaltecer o socialismo, mas viver como capitalista.
Só que o ponto central aqui não é Plínio. Ele morreu, que descanse em paz. Eu confesso que achava até engraçada a sua participação nos debates eleitorais, quando foi candidato a presidente pelo PSOL. O homem era uma figura!
O foco é a CNBB mesmo, cada vez mais tomada pelos bispos vermelhos. A infiltração da Teologia da Libertação já é quase total. Para quem não sabe, a Teologia da Libertação é aquela que casou Jesus com Marx, dando clara preferência ao último, e tem em Leonardo Boff um grande ícone. É tanto bispo comunista ali, que o certo seria mudar o nome e passar a chamá-la de Conferência Nacional dos Bispos Bolivarianos.
Vade Retro!
Rodrigo Constantino