sábado, 12 de julho de 2014

O câncer de Cristina e a volta de Lula ao hospital

O câncer de Cristina voltou


A presidente Cristina Kirchner, da Argentina, foi acometida de uma infecção aguda na garganta e faz mais de 10 dias que está em repouso para "tratamento correspondente", anunciou o governo. Isso chegou a impedir que ela participasse da festa do aniversário da independência do país, no último dia 9. Infecção ou o câncer voltou?

No final de dezembro de 2011 uma equipe médica, formada pelos maiores profissionais argentinos, diagnosticou câncer na tireoide da presidente, então com 58 anos de idade. O chamado carcinoma papilífero é o tipo de nódulo maligno mais comum nessa glândula e responsável por mais de 80% desses diagnósticos. Pacientes com esse câncer tem uma sobrevida até 10 anos em 95% dos casos, dependendo do seu tamanho e da precocidade na sua identificação.

Estranhamente, porém, o governo argentino anunciou, no começo de janeiro de 2012, que houve um "engano" e Cristina "não tinha" câncer, mas uma "infecção" da tireoide, então removida. Os próprios argentinos desconfiaram pois, afinal, uma junta médica não confirmaria um câncer numa presidente se não tivesse convicção. Incompetência médica? Na verdade a "mudança" do diagnóstico ocorreu depois que Hugo Chavez aconselhou esconder a doença, o que ele também tentou com mentiras oficiais.

Depois disso Cristina passou por cirurgia para retirar um coágulo no cérebro, em outubro, de causas não explicadas pelo governo. E agora, ela se afastou com uma "infecção na garganta".

Internacionalmente os anúncios oficiais de países como Argentina, Cuba, Coreia do Norte, Venezuela, Bolívia e Equador são recebidos com cautela dado o histórico de mentiras oficiais. No caso argentino, muito pior. O câncer de Cristina voltou e seu governo repete as fantasiosas mentiras venezuelanas sobre o estado de saúde de Chavez.

Falando em mentiras oficiais, o ex-presidente Luiz Inácio internou-se no Hospital Sírio-Libanês, neste sábado, 12 de julho e foi submetido a exames de monitoramento do câncer na laringe diagnosticado em 2011 e considerado "extinto" no ano seguinte. Sua assessoria fez questão de ressalvar que os exames foram previamente marcados. Afinal, em plena copa de futebol, Lula se internar para "exames de rotina" não convence ninguém. Boletim médico diz, laconicamente, que os resultados foram "normais". Seu tumor teria voltado? E o câncer de Dilma? Diante de tanta mentira oficial, quem acredita que eles estejam curados?

PS: De novo Lula voltou ao hospital no último sábado, dia 15 de novembro de 2014 para "exames de rotina". Seu retorno ocorre 4 meses depois de outro exame (realizado dia 12 de julho deste ano) e o objetivo era saber se o câncer tinha voltado. Recorde-se que a "junta médica" já havia considerado o câncer extinto. Segundo o médico 
Roberto Kalil, "os exames deram todos normais". Lula fez exames de PET-CT, mapeamento que busca tumores por todo corpo. Exames deste tipo ocorrem quando se suspeita de metástese - tumores espalham atingindo outros órgãos, além da  laringe, onde o câncer foi localizado primeiro.