segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Financial Times avalia que Dilma pode ser derrotada

Marina pode gerar voto 'todos contra Dilma' no 2º turno, diz jornal


FERNANDO NAKAGAWA, CORRESPONDENTE - O ESTADO DE S. PAULO
18 Agosto 2014 | 09h 22

Editorial do britânico Financial Times afirma que entrada da ex-ministra na disputa presidencial ameaça a presidente

Londres - Editorial do jornal britânico Financial Times publicado na edição desta segunda-feira, 18, defende que a morte de Eduardo Campos "não é apenas trágica". "A morte muda a dinâmica de uma eleição disputada e, com isso, muda o provável destino da segunda maior economia emergente do mundo". O jornal exalta que a competitividade de Marina Silva ameaça Dilma Rousseff e Aécio Neves e, para o FT, a ex-ministra pode gerar um movimento do voto "todos contra Dilma Rousseff" no segundo turno.

No editorial "Brasil após a morte de Campos", o jornal diz que a campanha presidencial parecia "uma corrida de dois cavalos" até a semana passada. "A trágica morte de Campos, no entanto, já transformou a eleição em uma corrida de três cavalos". O FT diz que a ainda não oficializada entrada de Marina Silva muda a disputa porque a ex-ministra pode exercer influência a ponto de determinar o vencedor ou até mesmo ser bem-sucedida e vencer as eleições.

"Marina Silva tem índices de aprovação mais elevados do que Aécio Neves. A partir de agora, Neves deve fazer uma campanha em duas frentes", diz o jornal, ao citar que o tucano deve correr para tentar diminuir a vantagem de Dilma e, ao mesmo tempo, sem perder os olhos de Marina Silva.

O FT defende ainda que a presidente da República também será prejudicada. "Dilma também está ameaçada. Embora Marina Silva acredite em algumas medidas favoráveis ao mercado, como um banco central independente, Dilma não pode acusá-la de ser um 'neoliberal indiferente' como ela faz Neves", diz o editorial.

Além das chances no primeiro turno, o jornal exalta que Marina pode atrair todos os insatisfeitos em eventual segundo turno. "Marina Silva poderia, então, gerar um voto de 'todos contra Dilma Rousseff'", diz o editorial que é publicado no mesmo dia da nova pesquisa Datafolha que revela Marina empatada com Dilma em eventual segundo turno. "A eleição do Brasil, que já era muito disputada, está prestes a ficar mais ainda quente."

No editorial, o FT enaltece as qualidades do ex-governador de Pernambuco e lamenta a perda do político. "Campos foi, literalmente, o menino de olhos azuis da política brasileira. Ele misturou o carisma com as habilidades de um governo sólido no Estado de Pernambuco. Ele também misturou com sucesso a linguagem dos negócios e do desenvolvimento econômico com a do meio ambiente e do bem-estar social", diz o editorial. "Muitos viam o político de 49 anos de idade como um provável futuro presidente - mas não este ano", completa o texto, ao citar que Campos poderia chegar ao Palácio do Planalto em 2018.