sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Pesquisas estranhas, muito estranhas, coincidentes ou díspares demais



Nunca antes na história desse país ocorreram coincidências tão afinadas em pesquisas eleitorais. Nunca antes na história das pesquisas os institutos registraram exatamente os mesmos números como passaram a registrar nestas eleições presidenciais do segundo turno. Chegam a ser suspeitas com tanta coincidência. E, em outros dois casos, díspares demais.

Ibope e Datafolha, os mais populares e "credenciados" institutos de pesquisas no Brasil, produziram pesquisas idênticas que mostram Aécio Neves com 51% e Dilma com 49%. Na mesma época e no mesmo período. Estranho, muito estranho. Estranhíssimo, pra ser sincero. Principalmente numa campanha cravada de denúncias de corrupção - bilhões desviados da Petrobras com autores e testemunhas abrindo o bico e uma montanha de documentos contra os mandantes - onde o dinheiro farto pode estar voando de bolsos e cuecas. As pesquisas do Ibope são encomendadas pela Globo e Estadão. 

A Vox Populi, também mineira, aponta um resultado inverso: Dilma está com 51% e Aécio 49%. Detalhe é que a Vox trabalha para a Rede Record, cujo dono, Edir Macedo, é sabidamente cabo eleitoral do PT.

De outro lado a pesquisa Sensus/IstoÉ, divulgada dia 11 de outubro, mostra Aécio Neves com 58,8% e Dilma com 41,2% (17,6 pontos a mais que Dilma). O PT entrou na justiça pedindo informações de coleta de dados, desconfiando dela. A Sensus é mineira (Belo Horizonte), tal e qual o Instituto Veritá (Uberlândia). A Veritá aponta Aécio com 54,8% e Dilma 45,2% (9,6% a diferença).

Contra o Ibope e Data, existe a exagerada coincidência nunca antes registrada de números estranhissimamente idênticos. Pesa, também, contra esses mesmos institutos, o fato de que suas pesquisas, no primeiro turno presidencial, foram muito diferentes dos resultados das urnas. Basta lembrar que a última pesquisa do Ibope apontou Dilma com 46%, Aécio com 27% e Marina com 24%. O Datafolha mostrava Dilma com 44%, Aécio com 26% e Marina 24%. Bem diferente do resultado das urnas onde Dilma ficou com 41,9%, Aécio com 33,55% e Marina com 21,32%.

Esse empate técnico pode sugerir, para os maquiavélicos, uma chance de fazer arte com as urnas eletrônicas, cientificamente provado ser frágil.


Sensus/IstoÉ (segundo turno) 11 outubro 2014
Aécio Neves (PSDB)
58,8%
Dilma (PT)
41,2%


Veritá (segundo turno) 13 outubro  2014                 
Aécio Neves (PSDB)
54,8%
Dilma (PT)
45,2%


Ibope (segundo turno) 15 outubro 2014
Aécio Neves (PSDB)
51%
Dilma (PT)
49%


Datafolha (segundo turno) 14 outubro 2014
Aécio Neves (PSDB)
51%
Dilma (PT)
49%



Vox Popoli (segundo turno)                                   
Dilma (PT)
51%
Aécio Neves (PSDB)
49%