terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Febre amarela já matou 36 este ano

Aedes Aegypti, transmissor do vírus que provoca a febre amarela: entre julho de 2016 e junho de 2017 foram 261 mortos no país. Em janeiro de 2018 a febre já matou 36 pessoas.
Por Edson Joel

Entre julho de 2016 e junho de 2017 ocorreram 261 mortes dos 777 casos registrados de febre amarela no país. Somente o Brasil registrou nove casos no final de 2017, segundo a OPAS. Nos primeiros dias do ano de 2018 foram 36 óbitos e existem 81 casos, provocados pela infestação da febre amarela (41 em Mairiporã) segundo dados da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. No Rio foram 3 casos com uma morte, em Minas Geris 11 casos com 7 mortos e um caso de óbito no Distrito Federal.

A Organização Pan Americana de Saúde admitiu a possibilidade de surto da doença e adverte para a falta de vacinas no país para toda população. Pela imprensa as autoridades na área dizem que "não é preciso que todos corram aos postos a procura da vacina". A intenção é usar racionalmente as doses que dispõe priorizando as áreas de riscos e aplicar vacinas fracionadas, com tempo de cobertura menor, no lugar da dose única.

Mas pesquisadores da Organização Mundial da Saúde não sabem determinar, ainda, o prazo de validade. Pesquisadores analisam a cobertura em campanhas realizadas em países africanos.

A produção de vacina no Brasil saltou de 21 milhões para 66 milhões de 2016 para 2017.

A Secretaria da Saúde paulista admitiu a ocorrência de três mortes ligadas a reação provocada pela vacina e 6 casos estão sob investigação.

Quarenta e sete países no mundo são endêmicos e preocupam a OMS. Destes, 34 estão na África e 13 da América Central e do Sul, inclusive o Brasil.