quinta-feira, 2 de abril de 2015

Vamos acabar com o populismo: vídeo de Glória Álvarez viraliza nas redes sociais


Por Edson Joel

Acabar com o populismo usando a internet.  
Esta é a proposta da jovem Glória Álvarez, formada em Ciência Política na Guatemala com Mestrado na Universidade Sapienza, em Roma, que viralizou nas redes sociais em todo mundo depois de sua participação numa conferência na Espanha.

Falando no Parlamento Ibero-americano da Juventude, em Zaragoza, Glória foi objetiva e contundente nas denúncias que fez contra governos populistas que, a despeito de "lutar pelos pobres", querem na verdade a implantação de governos ditatoriais, como vem ocorrendo na América Latina.


"O populismo é um atalho que joga com as paixões, ilusões e ideais do povo para prometer o impossível, aproveitando-se da miséria das pessoas e deixando de fora absolutamente toda razão e lógica nas tomadas de decisões. Joga com a necessidade dos outros para implantar uma ditadura" - repete Glória Álvarez no vídeo que circula pela internet.

"O populismo praticado por líderes latino-americanos tira a dignidade das pessoas que mal conseguem administrar suas próprias vidas e fica dependente deles" - diz Glória. A ideia básica do populismo é convencer que você está pobre porque outros estão ricos. 

"O populismo ama tanto os pobres que os multiplica para continuar recebendo votos" - diz ela em seu discurso referindo-se a ações de governos que procuram, primeiro, destruir as instituições e alterar as constituições para lhes dar mais poder "em nome do povo". Outra prática comum é a disseminação da corrupção. 

Os atuais governantes do PT repetem a mesma tática com aparelhamento nas instituições, como a justiça, insistência na alteração da constituição, mudanças na estrutura de gestão das escolas (como a tentativa de instituir a figura do Diretor Principal - certamente alguém do interesse do governo), proliferação de programas Sociais com caráter eleitoreiro como fez  Lula, Dilma, Hugo Chavez, Maduro, Cristina Kirchner e alguns países menores na América Latina. 

Contra isso ela sugere o uso da internet onde se pode apresentar denúncias e compartilhamentos de informações e debates com propagação de argumentos racionais opondo-se as falácias das práticas populistas.

"Não se trata de uma luta de esquerda e direita mas de populismo versus república. Muitos governos populistas chegaram ao poder por via de votos graças a pouca competência dos governos anteriores. E só a república pode garantir o funcionamento das instituições e garantir as liberdades" - diz ela.

A Venezuela, vítima do populismo doentio de uma mente insana como a de Hugo Chavez, é exemplo clássico do populismo. O país está vivendo caos político, social e econômico, violência e intensa corrupção. O desabastecimento é generalizado, Falta comida e até papel higiênico. As instituições são dominadas pelo governo e, independente de manifestações de milhões, o controle das massas é feito com armas e muitas mortes. Jovens estudantes universitários são destroçados por um grupo chamado de "coletivos", um bando armado e de moto que ataca opositores do regime.

Os "pobres" venezuelanos recebiam bolsas-família, casas mobiliadas, motos e toda sorte de benefícios, com uma única contra partida: votar nos chavistas em eleições fraudadas, como se constatou na última. Mas, para sustentar esse projeto de poder era preciso muito dinheiro que Chavez tirava dos pesados tributos imposto a classe produtiva. Essa grana se esgotou porque a economia desmoronou (poucos trabalhando para sustentar eleitores improdutivos). O dinheiro da petroleira PDVSA minguou com a queda nos preços internacionais. Pobres e ricos estão na mesma miséria: limpando o traseiro com jornais empastelados pelo governo. Só serve pra isso.

No Brasil, o populismo patético de Lula não se transferiu para a presidente Dilma cada dia pior em todas as pesquisas. Vendo o povo acordar, o PT entrou em pânico e desfila bobagens como "defesa da Petrobras" que o partido arrombou ou "o PT é vítima da corrupção". A multiplicação da miséria para continuar recebendo votos é uma verdade inconteste no governo petista: veja os exemplos dos "imigrantes haitianos" trazidos pelo PT pra quem o governo brasileiro paga bolsa família e os usa em manifestações pró-governo.

Onde está o amor do PT aos pobres? Nos hospitais falidos que amontoam doentes nos chãos dos corredores? Nas escolas públicas sem qualidade, sem gestão, sem métodos e metodologias que alfabetizem? Na insegurança do povo vítima de todos os tipos de criminosos? Nas péssimas estradas mantidas pelo governo? Nos portos e aeroportos de altos custos? Nos altos tributos? Na inflação que come o pouco ganho dos assalariados? No baixo crescimento da economia? Na corrupção desvairada por todos os cantos do governo petista?