terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Prefeito e bombeiros podem ser responsabilizados pelo incêndio em Santa Maria


Prefeito de Santa Maria diz que boate está em dia com documentos.

E joga responsabilidade da fiscalização ao Corpo de Bombeiros

Prefeito disse que a fiscalização é responsabilidade dos bombeiros


Alvará de prevenção e proteção contra incêndios, 

vencido em 10 de agosto de 2012

O alvará dos Bombeiros venceu em agosto do ano passado. Este é um dos documentos entregues à imprensa pelo prefeito de Santa Maria, Cesar Shirmer depois de afirmar que a Boate Kiss está em dia para funcionar. Questionado ele disse que se referia aos "papéis que cabem a prefeitura" e se retirou da sala. O comandante do Corpo de Bombeiros local já afirmara antes que o alvará estava vencido, mas que a renovação estava em tramitação. A unidade deverá ser investigada pela polícia, também. No incêndio 234 pessoas, a maioria jovens, morreram asfixiadas transformando-se na segunda maior tragédia com fogo na história do país.


Para o delegado Marcelo Arigony existem indícios fortes de que a boate não poderia estar funcionando. Existem também fortes possibilidades que agentes públicos - prefeito, bombeiros, funcionários municipais - possam ser responsabilizados pelos fatos. 

"Haverá responsabilização de quem quer que seja, independentemente da instituição", afirmou o delegado.

O delegado apontou a existência de uma única porta para entrada e saída - o projeto previa duas - superlotação, falta de indicadores de saída, além de outros erros que disse que vai apurar. Os sócios da boate, dois músicos e um funcionário foram presos e os bens dos proprietários tornados indisponíveis.

Em 30 de novembro de 2004 uma tragédia idêntica a da Boate Kiss, de Santa Maria, ocorreu na Argentina matando 195 pessoas. Identicamente foi um efeito pirotécnico que iniciou o fogo na discoteca República Cromagnon e o local, com capacidade para mil pessoas lotava com 3 mil. Quase todos morreram por asfixia. A discoteca portenha também tinha seu alvará vencido e as portas de saída eram insuficientes. Na Kiss havia apenas uma porta larga para entrada e saída.

O prefeito Aníbal Ibarra, de Buenos Aires foi cassado e o dono da discoteca condenado a 20 anos de prisão, mais tarde reduzida para 10 anos que ele ainda está cumprindo. A população iniciou forte movimento para mudanças na legislação e punição exemplar.

Um ano antes, outra tragédia nos Estados Unidos, a quarta maior no país com 100 mortos e mais de 200 feridos. O fogo também começou com o uso de efeitos pirotécnicos.