segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A tragédia não foi fatalidade

Velório coletivo no ginásio de esportes da cidade de Santa Maria


A morte de 236 pessoas e ferimentos gravíssimos em mais de 50, segundo dados oficiais, no incêndio da Boate Kiss em Santa Maria, não foi fatalidade, mas uma tragédia anunciada. Entre as mortes e a dor de centenas da famílias estão responsáveis por não cumprirem normas, regras e leis de segurança.

O evento, denominado Agromerado", foi organizado pelos alunos da Universidade Federal de Santa Maria e tinha a presença maciça de alunos de agronomia, tecnologia de alimentos, medicina veterinária, zootecnia, tecnologia em agronegócio e pedagogia. Eram cerca de 2 mil pessoas, além da capacidade da casa, consta.

Por volta de duas horas da manhã, quando se apresentava a banda Gurizada Fandanqueira, um efeito pirotécnico lançado do piso do palco (tipos gerbs ou silver jet) acabou provocando o início do incêndio, no teto, coberto com material acústico.

Uma única porta que servia de entrada e saída estava mal sinalizada. Testemunhas alegam que muitos seguranças, achando que se tratava de uma briga, tentaram conter a massa em fuga, exigindo o pagamento da comanda. Os bombeiros informaram que cerca de 180 corpos estavam no banheiro, por onde os jovens correram em busca de fuga. A maioria morreu asfixiada, não havendo registro de corpos carbonizados. 

O plano de combate a incêndio, da boate, estava vencido desde setembro. Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, Cel Guido Pedroso de Melo "tinha vencido o alvará deles, mas eles tinham toda a parte preventiva instalada no prédio" e acrescentou que a renovação do documento estava em tramitação. Por essa declaração, o próprio coronel isentou a boate de responsabilidade, exceto pela lotação, acima do limite,e o uso de efeitos pirotécnicos alegados por ele.

Os efeitos pirotécnicos indoor, diferentes de fogos de artifício, são produtos que não emitem fumaça ou faíscas que provoquem incêndio ou danos as pessoas. Se o incêndio na boate começou após algum efeito desse tipo, certamente não era tipo indoor.

A sucessão de erros somadas provocaram a tragédia. Não foi fatalidade. Existem responsáveis que devem responder por isso,