quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Porque o governo de Dilma pede para o povo trocar carne por ovo?


Com inflação alta e país em recessão, Dilma pede para o povo
trocar carne por ovo. 


Depois de dois meses seguidos de quedas, o varejo registrou pequeno aumento de atividade em agosto: 1,1%, comprando-se com julho. Os supermercados e produtos alimentícios registraram queda de - 0,1%. Motivo: aumento de preços no segmento de alimentos decorrente da alta inflacionária que ajudaram a derrubar as vendas. Dai veio a sugestão de Dilma Roussef para o povo trocar a carne por ovo.

Material de construção, veículos e peças tiveram queda de - 2,5% em agosto comprado com julho. Os dados são do IBGE. Entre os setores que registraram aumento estão equipamentos e material para escritório, comunicação e informática com crescimento de 7,5%.

Sem ajuste e comprando-se com agosto do ano passado, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 6,8% em agosto deste ano.

A péssima condução da política econômica gera instabilidade e derruba investimentos, o que significa, desemprego. Dilma adotou o discurso de culpar a crise internacional para justificar o baixo desempenho da economia brasileira. 

A presidente mente, diz uma nota assinada por 164 economistas e professores brasileiros e estrangeiros. Não há, no momento, uma crise internacional generalizada e alguns países latino-americanos estão em crescimento enquanto o Brasil entra em recessão. A Colômbia cresça 4,8% deve crescer em 2014, com inflação de 2,8%. A economia peruana deve crescer 3,6%, com inflação de 3,2%. O México deve crescer 2,4%, com inflação de 3,9%. No Brasil, teremos crescimento próximo de zero com a inflação próxima de 6,5%.

A nota dos 164 economistas diz que "entre as 38 economias com estatísticas de crescimento do PIB disponíveis no síte da OCDE, apenas Brasil, Argentina, Islândia e Itália encontram-se em recessão. Como todos os países fazem parte da mesma economia global, não pode haver crise internacional generalizada apenas para alguns. É emblemático que, dentre os países da América do Sul, apenas Argentina e Venezuela devem crescer menos que o Brasil em 2014" - diz a nota.


"Ao usar de sua propaganda eleitoral e exposição na mídia para colocar a culpa pelo fraco desempenho econômico recente na conjuntura internacional, se eximindo da sua responsabilidade por escolhas equivocadas de políticas econômicas, o atual governo recorre a argumentos falaciosos", conclui o manifesto.

Portanto, Dilma mente. Descaradamente!
Para uma economia capenga resta pedir para o povo trocar carne por ovo.