quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Governo comunista tenta abafar manifestações em Hong Kong


Governo comunista chinês tem medo que manifestações
se espalhem por todo país
A China é comunista só na ditadura do governo porque o que funciona no país é o capitalismo selvagem. Mais selvagem, impossível. O crescimento da economia do país depende unicamente do setor privado. Lá, faz tempo, o socialismo - endeusado pela esquerda burra latino-americana - acabou. 

Depois que as manifestações, pedindo mais democracia no país, mobilizaram centenas de milhares em Hong Kong, o governo proibiu a imprensa divulgar informações para o restante do país. Mesmo assim os protestos são transmitidos ao vivo pela internet onde a censura é rigorosa. Basta dizer que não existe Facebook ou outro tipo de rede social livre no país, exceto as que podem ser controladas. O uso de algumas expressões são proibidas no Twitter e fotos são censuradas no Instagram que este final de semana ficou fora do ar a mando do governo.
 
Joshua Wong, 17 anos
As manifestações são lideradas por um jovem de 17 anos, Joshua Wong, que vive em Hong Kong, um protetorado britânico autônomo devolvido à China em 1997 e que ainda mantém imprensa livre e eleições. O governo comunista quer acabar com esses direitos e é por isso que os jovens protestam. "O povo não devia temer o governo. Ele é que deve nos temer" - dizem os estudantes que, apesar de não terem ainda status social, podem influenciar nas políticas governamentais. 

Para as autoridades chinesas essas manifestações podem ser o estopim para o fim do comunismo e todo sistema totalitário implantado por Mao Tse Tsung que tomou o poder em 1949. Desde de então nunca houve eleições livres na China e a imprensa é mantida sob controle rigoroso, como em todos os países que já passaram por esse sistema.

O mundo sabe mais sobre os acontecimentos em Hong Kong do que os próprios chineses.
O comunismo resiste apenas em Cuba e Coreia do Norte, dois países paupérrimos onde liberdade é apenas, ainda, um sonho. O socialismo do século 21, de Hugo Chavez, na Venezuela é a amostra real do que o comunismo pode fazer com um país: destruí-lo totalmente. O povo vive com inflação altíssima, desabastecimento total, violência sem controle e falta de liberdade. Na Coreia do Norte 18 milhões de uma população de 24 milhões de habitantes, passam fome e são socorridos por doações internacionais.

O governo brasileiro reiteradamente em apoiado essas ditaduras.