quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Relatório de Liberdade Econômica coloca Brasil entre os últimos de 185 nações.

Honduras, Brasil e Nicarágua estão entre as chamadas economias
apenas livres: 96 °, 100 ° e 110 °


Liberdade econômica é o direito fundamental que todos tem de controlar a posse de seu trabalho, isto é, todos são livres para trabalhar, produzir, consumir e investir como desejar sem que haja qualquer tipo de controle ou restrição do Estado.

Elaborado pela Heritage Foundation, o Relatório de Liberdade Econômica mostra que os países das Américas Latina, neste quesito, estão ruins. Entre todos eles, o Chile está em 7º lugar entre 185 nações incluídas neste ranking, à frente dos Estados Unidos, inclusive. A eficiência do seu judiciário e o controle de gastos públicos elevaram o Chile a esta posição.

Na faixa de média liberdade o Uruguai classificou-se em 36 º, Colômbia 37 º, Peru 44º, Costa Rica 49º, México 50 º, Jamaica 52 º, El Salvador 53 º e Panamá 71 º. Mais além estão Paraguai º.80 º e Guatemala 84 º. 

Honduras, Brasil e Nicarágua estão entre as chamadas economias apenas livres: 96°, 100° e 110°. E as piores classificações - países sem liberdade econômica - estão Bolívia, Equador, Argentina, Venezuela, Cuba e Coréia do Norte, todos chamados governos "socialistas" com forte impacto da corrupção e interferência política no judiciário.