quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

As cenouras que venceram Hitler

Robert Watson-Watt com o radar que permitiu a Inglaterra vencer a Alemanha
Por Edson Joel

John Cunningham foi um dos mais famosos pilotos britânicos durante a segunda guerra mundial. Sua especialidade era derrubar aviões inimigos durante a noite. Isso chamou a atenção dos alemães que perderam 19 deles, todos abatidos por John. Os alemães já vinham atacando a Inglaterra com bombardeios constantes e, entre setembro de 1940 e maio de 1941 as bombas caiam em todo país. A Luftwaffe estava dominando os céus ingleses até que surgiu John Cunningham, o herói das crianças britânicas e o maior consumidor de cenouras do país.

Durante o dia os pilotos ingleses tentavam barrar os ataques inimigos e, à noite, era a vez do capitão John Cunningham, apelidado de "Cat Eyes", literalmente Olhos de gato. Ele e seus companheiros atentavam a vida dos pilotos alemães durante a noite.

E a cenoura? Bem, essa informação se espalhou pelo mundo apenas para desviar a atenção para outro importante fato que fez a diferença na guerra: os ingleses tinham desenvolvido um radar mais preciso e, para dissimular, criaram a tal dieta de cenoura que "tornaram os ingleses com visão mais apurada".

"Faça como nossos pilotos, comam cenouras e tenham melhor visão" - diziam as peças publicitárias. "Elas ajudam manter sua saúde e te ajudam ver na escuridão". Os alemães devem ter acreditado.


O poder da cenoura: a invencionice para desviar a atenção dos alemães ajudou no maior consumo de hortaliças. Até "sorvete de cenouras"


"As cenouras te mantêm saudável e ajudam a ver na escuridão": além de camuflar, a campanha
serviu para aumentar o consumo de hortaliças.

A invenção do radar

Foi em 1904 que surgiu o primeiro radar, inventado por Christian Hulsmeyer, engenheiro alemão. Seu radar conseguia detectar um objeto com alguma distância mas com precisão baixa. Mas, em 1917, Nokola Testa estabeleceu os princípios de frequências e potências utilizadas para detectar objetos e seu movimento.

John Cunningham
Vários cientistas, após essa publicação, desenvolveram radares com diferentes resultados até chegar a precisão dos radares atuais. Em 1934 registrou-se a primeira patente (Emile Girardeau, engenheiro francês patenteou o radar multi-frequência). Neste mesmo ano o russo P.K. Oschepkov criou o Radar que denominou de Rapid e que conseguia detectar a presença de um avião a três quilômetros de distância. Em 1935 Dr. Robert Page, norte americano, construiu um radar de mono frequência.

Mas foi o engenheiro britânico Robert Watson-Watt, em 1935, que conseguiu avançar no desenvolvimento de um radar que permitia localizar um avião a 100 km de distância. Por pouco os britânicos estiveram à frente dos alemães que também tentavam evoluir o equipamento.