sábado, 22 de fevereiro de 2014

Um coronel muito bravo

Cel. Antônio Erasmo Dias - militar, historiador e político - nasceu
em Paraguaçu Pta em
 1924 e morreu em 2010. 
Erasmo Dias tinha deixado a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo se aventurado como deputado federal. O coronel se notabilizara por protagonizar a invasão da PUC, em 1977 e ter sido responsável pelas operações de combate à guerrilha de Carlos Lamarca.

Numa das campanhas para reeleição, Erasmo apareceu em Tupã, pedindo votos. O advogado Hilton Buller Almeida era o anfitrião na recepção ao coronel, em sua casa, no Parque das Nações, em Tupã, três casas acima da minha. Fui avisado da visita e, quase ao lado, segui a pé mesmo com meu gravador. Chamei-o para uma entrevista o que ele prontamente e cortesmente me atendeu.

- Três, dois, um... Coronel Erasmo Dias, ex-secretário da Segurança Pública e atual deputado é recebido em Tupã na residência do Dr. Hilton Buller. Coronel, o que o senhor fez por Tupã ou pela nossa região que o credencie a vir pedir votos por aqui? - perguntei e me afastei, propositalmente, alguns centímetros dele.

- Você é um repórter insolente! - começou a responder o coronel. Você veio aqui para me provocar não para saber das minhas atividades parlamentares. O senhor veio aqui para conturbar... blá, blá, blá... continuou Erasmo, esbravejando como de costume. E cuspindo.

Ele bufou quando o comparei aos políticos paraquedistas que só apareceram nas vésperas de uma eleição. Imagine um coronel bravo? Era ele.

Como já conhecia a peça e aquela reação já era previsível, mantive-me com o braço esticado, segurando o gravador e ouvindo um monte de impropérios. Mantive um sorriso discreto e calmo contrapondo-se com o rosto irado do homem.

He, he, he, nunca vi um coronel tão bravo na minha vida.
Limpei o rosto e fui embora. Rindo muito, confesso.