sábado, 14 de setembro de 2013

O corte das árvores em Marília virou piadinha

Árvores cortadas na Av. Tiradentes
Muitas árvores que ladeavam os trilhos, na Av. Tiradentes, em Marília, foram cortadas pela prefeitura sob o frágil argumento de que elas abrigavam bandidos e andarilhos. Na Ipiranga árvores também foram arrancadas.

Essa é uma visão que beira a imbecilidade. A nota divulgada, tentando explicar o absurdo, mais ainda. O fato virou piada.

Se andarilhos se abrigavam abaixo delas, o problema é social. 
Se bandidos se escondiam nos arbustos, isso é um problema policial. 

Fatos como este ficam para a história e serão lembradas de forma pejorativa. Aliás, o Brasil é um país acostumado a ideias de jerico. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, objetivando acabar com estupros praticados dentro de vans , proibiu o uso desses veículos em determinadas áreas da cidade. Como as autoridades indianas que proibiram o uso de cortinas em ônibus depois que se denunciou o estupro de mulheres dentro de coletivos. Mas lá eles acordaram e condenaram os quatro estupradores a pena de morte. Aqui corruptos e quadrilheiros mandam no tribunal que os condena. Surrealismo? Não, verdade. Estúpida, mas verdade. 

O corte das árvores lembra a piadinha do cara que flagrou a mulher com outro, no sofá. Ele resolveu o problema: vendeu o sofá.
 
Oras, segundo essa ótica míope, então vamos torcer para que os mendigos e bandidos passem a frequentar o prédio da prefeitura e câmara. Quem sabe derrubem essas casas que não tem servido pra muita coisa, exceto para aprovar aumentos de impostos.