sábado, 28 de setembro de 2013

O pré-sal foi descoberto em 1978 pela British Petroleum

Anunciado em 2005 como uma "grande descoberta" o petróleo do pré-sal já era conhecida desde 1978
Carlos Galani dos Santos foi auxiliar de geólogo durante as prospecções de petróleo realizadas no Brasil pela British Petroleum, em 1978. Naquela época, conta ele, já se sabia da existência do petróleo no pré-sal - de exploração econômica inviável, então - mas anunciada como grande descoberta em 2005. Em depoimento público ele explica que centenas de perfurações detectaram carbono, indicador de petróleo em profundidades acima de 3 mil metros.

Em 2008, quando o barril chegou a 100 dólares, Lula disse que o pré-sal era um bilhete de loteria premiado. Pouco tempo depois o preço caiu para 30 dólares (hoje vale 50). O bilhete premiado era falso.

Hugo Chavez ensinou Lula explorar o petróleo, como ele fez com a PDVSA, a Petrobras de lá, como sustentação do regime. Deu no que deu: o perverso regime bolivarianista trouxe a destruição da economia da Venezuela e seu povo passa fome. O regime é mantido sob armas, o preço do petróleo despencou no mundo (90% da economia do país depende do petróleo) e restaram, no Brasil, alguns defensores mudos do socialismo do século 21.


Testemunho do Pré-Sal

Em 1978, eu, Carlos Galani dos Santos, trabalhei em uma plataforma marítima de prospecção de petróleo na bacia de Santos. A concessão da área era da British Petroleum  a plataforma era da Pennzoil e a firma em que eu trabalhava, como Auxiliar de Geólogo, era a Oil, (Ocean Inchcape do Brasil). 


A plataforma tinha o nome de SEDCO 706. A base era em São Sebastião, de onde saia o helicóptero que nos levava para a plataforma. O tempo de voo era de uma hora e distava aproximadamente 200 KM, já na beira da plataforma continental do Brasil. Com tempo bom se avistava da plataforma a claridade da cidade do Rio de Janeiro em noites claras. Estas informações é para que se situem na localização aproximada.

Pois bem, meu trabalho consistia em recolher amostras coletadas das brocas de perfuração, trata-las e analisa-las quanto à presença de carbono, o que indicaria a possibilidade de haver ou não petróleo naquele furo. E, sim, havia carbono em quase todos os furos que eram feitos. Mas, a profundidade em que eram encontrados estes indícios da possibilidade de haver petróleo tinham uma lâmina d´água na média de 176 metros e os furos eram todos com mais de 3.000 metros. Foram centenas de furos e todos devidamente marcados quanto à localização e lacrados com cimento, pois não havia na época tecnologia para que se retirasse o petróleo em segurança, como não temos até hoje.

Imaginem minha indignação quando este desgoverno começou à usar estas informações como se fossem "novidades" descobertas por "elles" em... 2005.

De lá para cá, iludiram o país inteiro, com a conivência dos políticos, que certamente também tinham estas informações que lhes passo aqui, com a possibilidade, ainda impossível, do país ficar "rico" com este petróleo inviável economicamente, ao menos no atual momento.

Era isto que tinha para dizer, meu testemunho de que nosso governo mente, e mente em tudo o mais, inclusive quando se diz "democrático", pois sabemos que o viés é totalitário. Mentem somente... lastimavelmente...