quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Cassação do vereador Choquito entra na pauta

João Paulo Salles, o Palhaço
Choquito

Comissão Processante abre trabalhos e presidência notifica Choquito em cinco dias


11 DE SETEMBRO DE 2013/ ASSESSORIA MATRA

A CP (Comissão Processante) abriu os trabalhos na tarde de ontem na sala de reuniões “Nasib Cury” da Câmara Municipal. A partir de hoje o vereador João Paulo Salles, o Choquito, tem cinco dias para ser notificado pela presidência do Legislativo de Marília e mais dez para apresentar a defesa por escrito.
Em caso de pedido de arquivamento da Comissão Processante pelos três membros, os vereadores vão decidir em plenário sobre o futuro das investigações. Se optarem pelo prosseguimento, prazo de 90 dias será contado para o encerramento dos trabalhos.
O foco da investigação da CP é algum fato envolvendo o vereador Choquito que possa denegrir a imagem da Câmara Municipal. Vale lembrar que computador foi apreendido na Casa de Leis pela Polícia Civil, que investiga suposto ato de pedofilia por parte do vereador.
O presidente da CP, José Bássiga Goda, afirmou que somente numa possível segunda fase de investigações é que serão convidados para oitivas o vereador Choquito e outras testemunhas. “Asseguramos o direito de ampla defesa e do contraditório ao vereador”.
A relatora da CP, Sônia Tonin, deixou claro que a comissão estará analisando se houve quebra de decoro. “A confirmação de imagens em computador e no gabinete da Câmara apontada pela polícia norteará as investigações. O crime de pedofilia, se houve ou não, quem vai apurar é a Polícia Civil. Vamos aguardar a defesa do vereador Choquito por escrito”.
O terceiro membro da CP, Cícero do Ceasa, disse que os representantes da comissão têm no coração e na mente a grande responsabilidade de fazer um bom trabalho, acima de tudo com justiça. “Prefiro que a gente siga os passos corretamente e trabalhe sempre em defesa da instituição Câmara Municipal”.
A abertura de Comissão Processante para investigar o suposto crime de pedofilia que teria sido praticado pelo vereador Choquito foi aprovada por unanimidade na sessão ordinária de anteontem (09) da Câmara Municipal a partir de representação de 46 páginas apresentadas pelo servidor público Antônio Vieira. Com o processo administrativo montado na Secretaria do Legislativo, o documento encorpou e agora soma 75 páginas.
A expectativa é de que a próxima reunião seja realizada somente daqui a 10 ou 15 dias, respeitando os prazos legais existentes na legislação vigente.

Fonte: Jornal da Manhã
PS: Em abril deste ano, Jorival Aparecido Pedrozo, assessor de Choquito foi preso acusado de assalto em Ocauçu há cerca de 5 anos.