segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Modelo de mini-carro indiano é inovador no combustível


Carro indiano movido a ar comprimido
Site Instituto Ventura


O carro movido a ar comprimido, da montadora indiana Tata Motors, saiu do papel. A empresa afirmou que a primeira fase do programa já está concluída e agora se prepara para a próxima etapa do projeto.


O produto é o resultado de um acordo, assinado em 2007, de licenciamento da tecnologia da MDI (Motor Development International, de Luxemburgo), fundada pelo engenheiro francês Guy Negrè. O programa realizou vários testes com dois protótipos equipados com os motores de ar comprimidos.

A segunda fase do projeto da Tata e MDI já começou. Nesta etapa, as duas empresas estão trabalhando para completar o desenvolvimento detalhado da tecnologia e os processos técnicos necessários para a produção do veículo. O projeto é chamado de “Mini Cat” e, de acordo com a montadora indiana, ele deve chegar ao mercado nos próximos anos, ainda sem data definida.

O carro deve alcançar velocidade máxima entre 80 e 105 km/h e ter autonomia de 130 a 300 quilômetros, este número varia de acordo com a quantidade de tanques de ar instalados.

Por enquanto, a licença da Tata para a utilização dos motores de ar comprimido é restrita à Índia. A marca, do bilionário indiano Ratan Tata, garante que o modelo será quatro vezes mais econômico que um automóvel movido à eletricidade. De acordo com o site Notícias Automotivas, na Índia todos os postos possuem pontos de ar comprimido, isto facilitará o abastecimento do Mini Cat.

A MDI ficou conhecida em 2008, quando apresentou o OneFlowAir durante o Salão de Nova York, o primeiro protótipo com um motor movido a ar comprimido do mundo. Com informações da Quatro Rodas e iG.