segunda-feira, 17 de junho de 2013

Começamos a revolução!



Os jovens foram para as ruas dizendo basta diante de tanta corrupção e desgoverno. Os jovens formaram cordões para desfilar na avenida da cidadania. Para protestar, não apenas contra vinte centavos do aumento das tarifas de ônibus, mas contra a falta de ética dos governantes, contra a falta de escrúpulos dos congressistas, contra a ausência de leis sérias e sua distribuição justa. Contra a falta de justiça e a omissão de um congresso de frouxos liderados pela escória política guindada ao poder porque pertencem a base de apoio do governo, tão inescrupuloso quanto eles. São inimigos políticos, mas se juntam em quadrilhas para arrombar os cofres públicos. São partidos de mentirinha, sem ideologia, sem programas, sem lenço e documento, nascidos para roubar. Não importa em qual sigla eles se escondam. E, se condenados por corrupção, juízes indicados pela presidente certamente os livrarão da cadeia. É tudo uma farra!

A inflação voltou, a economia regride, as perspectivas são péssimas.
Morre-se nas filas dos hospitais, morre-se queimado vivo, morre-se de ignorância, sem escolas de qualidade (poucas mantém o nível muito mais graças a persistência das suas diretoras que pela estrutura ou qualidade pedagógica).

Mas festeja-se futebol e carnaval. Pão e circo.

O que esses jovens pensam e querem?
O que pretendem?
Que bandeira hastearam?
Esta jovem sintetiza um pouco do que deve ser a luta desta geração.