sábado, 1 de junho de 2013

A vertente radical do construtivismo é um equívoco pedagógico completo, diz Ministro da Educação de Portugal

Nuno Crato, atual ministro da Educação de Portugal
Por Edson Joel

Nuno Crato, ministro da Educação de Portugal há dois anos, faz críticas violentas contra os "politicamente corretos da educação" e aposta no inverso da pedagogia romântica e construtivista. 

Sua revolução no ensino de Portugal aposta em metas. avaliações e mérito. Em Portugal os alunos mal sabem ler jornais. Muito menos entender. Isso é o resultado da "nova pedagogia" que acha que prova faz mal, que o aluno não precisa ser avaliado porque isso causa stress. No Brasil a mesma pedagogia adotada por incautos levou os estudantes ao mais baixo nível de conhecimento. Estamos na rabeira em qualquer avaliação internacional. Portanto, cuidado antes de falar sobre as qualidades da educação em Portugal. Aliás, os portugueses ocupam a 52ª posição do ranking mundial de 65 países. 

Segundo Nuno, o construtivismo de hoje (vertente radical das teorias do psicólogo Piaget) é um completo erro. Ela se baseia no fato de que o professor  deve ser um mero "facilitador" - no Brasil, mediador - do aprendizado. Um professor, diz Nuno Crato, deve transmitir aos alunos todo conteúdo nos quais se graduou. "É ingênuo acreditar que o estudante vai descobrir tudo sozinho quando julgar interessante" - afirma o ministro português.

Nuno Crato é matemático e ganhador do cobiçado prêmio European Science Award. 

Leia também: Como recuperar o tempo perdido