sexta-feira, 28 de junho de 2013

Centrais Sindicais revoltadas com Dilma: ela esqueceu os trabalhadores


Contra Dilma, o Brasil vai parar dia 11 de julho, diz Força Sindical

"Fomos atendidos a contragosto por Dilma" disseram os líderes da Força Sindical ao se referirem a reunião com a presidente na última quarta feira quando apresentaram uma pauta de reivindicações. A queixa foi dada em tom de confrontação durante uma plenária e convocação para uma greve geral, dia 11 de julho. Dilma esqueceu os trabalhadores, disse Paulinho da Força Sindical.

A reunião com a presidente ocorreu em clima de pouca cordialidade. "Dilma falou durante 40 minutos e, com raiva, deixou que a gente falasse. Quando terminamos de falar ela se levantou e foi embora sem nenhuma decisão concreta" - disse o líder da Força Sindical.

A paralisação ocorrerá em todo país e será um protesto contra a presidente que três anos depois de eleita não cumpriu nada da pauta trabalhista. No meio sindical a paralisação é geral. A greve terá a participação da CUT, CSP-Conlutas, Força Sindical, UGT, CGTB, CTB, CSB e NCST.

As centrais querem a categoria nas ruas, em greve ou protestando, por quanto tempo for possível. O Porto de Santos parará no dia 11, asseguraram os membros da Força.