sexta-feira, 21 de junho de 2013

Chamem Montesquieu para explicar melhor. Se preciso for, peça para ele desenhar.

Prestaram atenção?

Algumas vezes o povo tem que agir com virulência para que os governantes compreendam a demanda da rua. Prova disso é a reação estupefata dos políticos alegando que não entenderam muito bem o que exatamente o povo quer.

Políticos, imprensa, marqueteiros e cientistas políticos não conseguiram captar, faz anos, o que gestava no meio do povo. Agora, abobalhados se reúnem, às pressas, procurando culpas e culpados.

As redes sociais vociferam, a cada post, um desejo, uma vontade, uma indignação. Todas ignoradas, com desdém, pelos prostitutos do poder. Indignação pela falta de ética, pela corrupção desenfreada, pela soberbia de um deus de barro, pela incompetência de governantes imbecilizados por teorias mofadas. O movimento saiu do Facebook e foi para as ruas, para o pavor da classe política.


A esquerda brasileira priorizou pão e circo. Bolsas para comprar votos e bilhões em estádios para desviar a atenção da falta de saúde, educação e segurança.

Desrespeitam a limitação do poder, avançam contra o judiciário e, se forem condenados, criam suas próprias leis para fugir da punição.

A construção do Estado de Direito não se faz assim, desrespeitando os poderes.
Chamem Montesquieu para explicar melhor. Se preciso for, peça para ele desenhar.
Ficará mais fácil para indigentes mentais, como Lula e Dilma, entenderem.