domingo, 28 de abril de 2013

Bola é condenado a 22 anos de prisão

Marcos Aparecido dos Santos recebeu R$ 70 mil pelo crime 


Acusado da morte e desaparecimento do cadáver de Eliza Samudio, Bola foi condenado a 22 anos de prisão e multas. O tempo todo afirmou ser inocente e recusou-se a responder o interrogatória. A  acusação disse que a morte de Eliza foi planejada e ordenada pelo goleiro Bruno, em 2010, porque não queria reconhecer a paternidade do filho Bruninho. Eliza tinha, na época, 25 anos. Marcos Aparecido dos Santos, ex-policial civil, teria recebido 70 mil reais pelo crime. O julgamento durou 6 dias e ocorreu no Tribunal do Juri de Contagem, Minas Gerais.
Com a decisão, o réu deverá permanecer preso e não terá direito a recorrer em liberdade. Bola foi conduzido, após a leitura da sentença, ao presídio de São Joaquim de Bicas, onde está preso há quase três anos.
Na sentença, a magistrada Marixa Fabiane Rodrigues relatou que ex-policial tinha maus antecedentes e tinha uma "vida cercada de irregularidades". Sobre a morte de Eliza ela disse que "é cristalino e evidente a forma impiedosa da execução".