sábado, 16 de março de 2013

De olho no Japão

China monta gabinete com olhos no Japão

A tensão entre China e Japão aumenta com a nomeação para o Ministério em Negócios Estrangeiros de um ex-embaixador no Japão, Wang Yi, um diplomata de 59 anos. Os novos mandatários chineses já adiantaram que privilegiarão o fortalecimento das forças armadas no momento que aumenta a tensão na disputa de uma ilhota desabitada - chamada Diaoyu em chinês e Senkaku, em japonês - reivindicada pelos chineses e de posse dos ex-invasores. Apesar de abandonada, ao seu redor existe uma vida marinha rica e muito petróleo. No ano passado a maior liderança militar chinesa ordenou que as forças militares se preparassem para o combate e os protestos anti-Japão em todo o país se tornaram violentos.

Recentemente ocorreram manifestações populares contra instituições japonesas em território chinês. Carros de fabricação japonesa são cuspidos e chutados sob os olhos tolerantes da polícia chinesa. O próprio governo parece incentivar essas manifestações.

Os conflitos entre os dois países remontam da Primeira Guerra Sino-Japonesa, de 1894-1895 e do segundo conflito entre 1937 e 1945, cessado com a derrota do Japão na segunda Guerra Mundial.


Novos governantes: supremacia no ar, terra e mar