sábado, 30 de março de 2013

Refrigerante não engorda


Segundo matéria de O Globo, o refrigerante, na forma que conhecemos, existe há mais de 120 anos e está entre os cinco alimentos mais consumidos no Brasil, de acordo com o IBGE. O brasileiro consome algo em torno de 94 ml por dia dessa bebida. Seu valor nutritivo é praticamente nulo. Mas virou vilão depois de tanto tempo e muitos quilos a mais.

Pesquisas e informações derrubam muitos mitos sobre a bebida açucarada. Os especialistas dizem que refrigerante não vicia, não provoca celulite, não causa diabetes. Pode ser cúmplice mas não é o refrigerante que causa obesidade. Uma latinha de 350 ml contém 30 gramas de açúcar, igual quantidade encontrada numa bebida de néctar de frutas. 

Ninguém fica gordo por causa de refrigerante, dizem especialistas em distúrbios alimentares.  Os que consomem a bebida em excesso também consomem em quantidades maiores alimentos como pizza, macarrão e doces. E a culpa cai no refrigerante. Os costumes de querer adoçar tudo é o começo do pecado do exagero. E da gordura a mais. Bebidas diets minimizam os efeitos.

Certo dia, almoçando com um amigo num restaurante em Assunção, assisti uma cena hilária. Depois dele comer grande quantidade de carnes e acessórios e ter repetido o prato, meu amigo irritou-se com o garçom porque lhe serviu o cafezinho sem o adoçante. Enquanto levava bronca, o garçom paraguaio, sem entender nada, olhava para a cara de bravo do meu amigo e para os pratos espalhados na mesa. Como o garçom, percebi que o excesso de peso teria que ser justificado por alguma coisa, neste caso, a ausência do adoçante.

Diz-se que a melhor dieta é a de comer e beber de tudo, moderadamente.