quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Procurador pediu a prisão imediata. Barbosa pode anunciar decisão a qualquer momento

Ali Baba consolando um dos 40


O que José Dirceu e seus quadrilheiros condenados pelo STF mais temiam, aconteceu. A decisão de prisão imediata ficou nas mãos do presidente Joaquim Barbosa. Pouco antes de entrar em recesso, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu a prisão imediata dos condenados no processo do mensalão. A assessoria de imprensa do ministro Joaquim Barbosa, informou ele não analisaria o pedido hoje mas uma decisão pode ser anunciada durante o recesso dos magistrados. Caso o relator Barbosa decida pela prisão imediata, todos os réus condenados em regimes aberto ou fechado deverão cumprir a determinação. No caso de Zé Dirceu o cumprimento é em regime fechado, como Delúbio. Genoíno deverá dormir na cadeia e ficar em liberdade durante o dia.

Gurgel afirmou que "a grande urgência que existe é de dar efetividade à decisão do Supremo. Esse esforço magnífico que foi feito pelo Supremo no sentido de prestigiar de forma importantíssima os valores republicanos não pode agora ser relegado aos porões da ineficiência. Não podemos ficar aguardando a sucessão de embargos declaratórios. Haverá certamente a tentativa dos incabíveis embargos infringentes. E o certo é que o tempo irá passando sem que a decisão tenha a necessária efetividade".