domingo, 9 de dezembro de 2012

Confusão no consultório de traumatologia


Faz algum tempo senti dores de uma tendinite que passou a me incomodar. Isso já vinha da época do futebol de salão. Goleiro, quando vai na bola, acaba socando os cotovelos no piso duro da quadra. As vezes, quadra de concreto. Como a irritação continuou, procurei ajuda médica.

Os tendões são fibras muito resistentes entre os músculos e ossos e podem inflamar. E o primeiro sintoma é dor. Chamava-se antes de L.E.R, lesão por esforço repetitivo. Se não for bem tratado, pode deixar sequelas. O tratamento geralmente consiste de anti-inflamatório e, em casos mais graves, imobilização com talas ou gesso e até mesmo infiltração no local. Isso é o que ninguém quer porque é um procedimento carregado de muita dor.

Depois que deu um "apertão" no local dolorido e ter ouvido um palavrão em resposta ao procedimento, propus um desafio ao médico para que descobrisse o porquê daquela inflamação. Ele olhou com a mão no queixo e cara de esperto, me analisou e atacou:

- Você joga tênis?
- Não.
- Boxe?
- Não.
- Computador?
- O dia inteiro na frente do computador, mas digito pouco.
- Ginástica com peso?
- Não.
- Vou te dar uma dica. Sou Corinthiano - disse ao médico, provocando. 
- É mesmo? E o que tem essa inflamação a ver com o fato de ser Corinthiano? - perguntou intrigado.
- É que nos últimos anos eu vivo balançando a bandeirinha do corinthians... Gol! Gol! Gol! Campeão! Campeão! Campeão! - falava e gesticulava o braço, balançando uma bandeira. - Esfôrço repetitivo, entendeu doutor. Muitos gols, muitos títulos e o nervinho não aguenta - gargalhei na cara dele.

Ele sorriu, sem graça, mas querendo rir e chamou o enfermeiro.
- Jorjão, faz uma infiltração no braço desse engraçadinho e depois engessa - disparou a receita ao mesmo tempo que puxava uma horrorosa bandeirinha do Palmeiras e colocava sobre sua mesa.

No cotovelo que mamãe beijou ninguém vai infiltrar nada. Tô fora! E fui tomar um diclofenaco qualquer.