domingo, 16 de dezembro de 2012

O discurso do PT é negar



Enquanto a Polícia Federal indicia Rosemary Noronha, a "secretária do Lula" e mais 24 funcionários do alto escalão do governo federal por corrupção, falsificação de documentos, formação de quadrilha e falsidade ideológica, os deputados do partido negam e tentam convencer que isso não aconteceu ou, se aconteceu, foi exceção.

No caso da Rose do Lula, a secretária com quem o ex-presidente mantinha relação mais íntima faz duas décadas - afinal foi sua secretária - nem tem como negar diante de montanhas de provas, documentos, gravações de telefonemas e e-mails. A quadrilha, plantada dentro da Secretaria Presidencial, fez mais do que vender pareceres falsos: a questão do mensalão está nas conversas gravadas pela PF.

Enquanto o STF analisa novas gravações - 150 telefonemas e 1300 mensagens eletrônicas - o PT exige de Dilma uma postura pró Lula. O discurso é o mesmo: não acreditem em Marcos Valério que ele não merece crédito. E repetem que não receiam a delação premiada do chefe da gang Paulo Vieira que disse que não aceitará a pecha de mafioso sem envolver gente graúda do governo. Afinal, Paulo já viu o que aconteceu com Valério que acreditou nas promessas do PT de que nada aconteceria e blindou Lula. Depois de levar mais de 40 anos de cadeia, Valério se arrependeu. E o Joaquim Barbosa já disse que o MP deve investigar Lula. Paulo Vieira, filiado ao PT desde 2003, foi denunciado pelos crimes de corrupção ativa, falsidade ideológica, falsificação de documento, tráfico de influência e formação de quadrilha.

"Não dá pra fazer de conta que não está acontecendo nada" - disse um jornalista petista.
É tanta safadeza, corrupção, escândalos que pau de macarrão na cabeça não resolve. A Marisa Letícia que o diga.