sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Porto Seguro: Paulo diz que vai denunciar os graúdos


Caso Rose/Lula: Paulo Vieira pede delação premiada

Paulo Vieira: ele percebeu que blindar
graúdos não é bom negócio
O ex-diretor da Agência Nacional de Águas, apontado pela PF como chefe da quadrilha de venda de pareceres quer negociar uma delação premiada com o Ministério Público e ameaça contar novos fatos do esquema de corrupção que já derrubou vários funcionários federais de alto escalão, inclusive Rosemary Noronha, então chefe de gabinete da Presidência da República e íntima amiga de Lula há mais de vinte anos. Vieira já percebeu, a exemplo do Marcos Valério, que proteger os graúdos não é bom negócio. Valério, que passou todo tempo blindando Lula, acabou levando 40 anos de prisão e viu a cúpula do PT preocupada apenas com Dirceu e Genoíno. Vieira disse que não sairá desta como chefe do bando e que vai denunciar os graúdos. Com isso ele pode se beneficiar caso seja condenado. Ele foi indiciado por crimes de corrupção ativa, falsificação de documento particular, formação de quadrilha e falsidade ideológica.  Como ele, seu irmão Rubens também "foi colocado" como diretor da Anac por indicação de "Rose". Os nomes de ambos tinham sido rejeitados pela análise do congresso mas, por insistência de Lula os nomes foram reavaliados e aprovados, depois. A quadrilha estava infiltrada na Advocacia Geral da União e em outras repartições públicas.  

Dilma está preocupada considerando que um dos indiciados, José Weber Holanda, era o braço direito de Luís Inácio Adams da AGU e que estava sendo indicado para o STF.

O maior dos problemas para o governo é que a PF está "fazendo a leitura" dos computadores do escritório Presidencial e podem surgir as provas que o PT diz que Marcos Valério não tem ao acusar Lula. Valério disse que entregou todos os documentos nas mãos da procuradoria.