terça-feira, 20 de novembro de 2012

Nelson Granciere prestou depoimento: Operação Dízimo


Nelson Granciere foi ouvido no Fórum

O mensalinho mariliense



O ex-secretário da Fazenda da Prefeitura de Marília, Nelson Granciere, prestou depoimento ontem no processo em que é acusado de participar de um suposto esquema de cobrança de propinas de empresários durante a administração de Mário Bulgareli. Além dele, outros dois assessores também depuseram no Fórum de Marília. Ele é suspeito de ter se apoderado de 10% de comissão dos valores de contratos que a prefeitura mantinha com fornecedores. O caso apareceu quando a Promotoria Pública e Polícia Federal passaram a investigar o pagamento de propina para obter apoio político ao prefeito e o aumento do patrimônio de Nelsinho, cujo despesa mensal era em torno de R$ 22.000. Seu salário na prefeitura não passava de R$ 6.000,00. 

A operação policial foi conhecida como "Operação Dízimo", referência ao percentual cobrado como propina dos empresários. Quando a Polícia Federal invadiu a prefeitura e a casa de Nelson, encontrou farto material que demonstrava o controle das despesas e cobranças. Um dos controles registrava, ao topo, o pagamento de dízimo a igreja: 200 reais. Algum tempo depois chegou a ser preso pela Polícia Federal. Libertado, lançou sua candidatura a prefeitura, que não evoluiu. Sua última tentativa foi candidatar-se a vereança e acabou não eleito.

Nelson Granciere foi indiciado pelos crimes de falso testemunho, coação e concussão. Seu pedido para retornar o cargo de Secretario da Fazenda foi negado pela justiça.