domingo, 18 de novembro de 2012

José Dirceu entra em desespero e pode fugir


Dirceu quer passaporte de volta e direito de viajar
sem autorização da justiça: desespero
Condenado a 10 anos e 10 meses, José Dirceu entrou em desespero na iminência de ir para a prisão, onde deve cumprir pelo menos um ano e 10 meses em regime fechado e, diante do recurso contra a decisão do Ministro Joaquim Barbosa, quer seu passaporte de volta e o direito de deixar o país sem a autorização da justiça. De praxe os condenados tem seus passaportes recolhidos e seus nomes entram na lista dos impedidos de deixar o país, em caso de fuga. 

Os advogados José Luís Oliveira Lima e Rodrigo Dall’Acqua amontoam no recurso apresentado ontem, 16 de novembro, fantasias jurídicas como acusar que a ação de Joaquim Barbosa “fere o bom senso e se afasta das regras que permeiam o Estado Democrático de Direito”. A dupla, erroneamente, invoca a Constituição na "liberdade da manifestação do pensamento" e que a decisão de Barbosa atinge 'o pilar essencial de nosso Estado Democrático." Oras, seu cliente foi condenado por corrupção e formação de quadrilha no mais gave caso de assalto aos cofres públicos, documentado por milhares de documentos de financiamentos irregulares e entrega de dinheiro para compra de votos de congressistas.

Entre frases rebuscadas e besteirol jurídico, a defesa dos quadrileiros afirma, erroneamente, que Barbosa não poderia ter tomado sozinho a decisão. Poderia sim e esta é uma das suas competências. Bisonhamente os advogados de Dirceu esforçam-se para enquadrar o Ministro Joaquim Barbosa como "ditador". 
José Dirceu "perdeu a tranquilidade que nunca teve" e entrou em desespero. O pedido absurdo para que a justiça devolva-lhe o passaporte e que lhe conceda o direito de deixar o país sem prévia comunicação ou autorização do STF é clara evidência que o chefe da quadrilha vai fugir.