segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Vinícius está tranquilo, diz assessoria

No QG de Vinícius Camarinha a  assessoria jurídica é a mais acionada preparando o recurso contra a decisão tomada, em primeira instância, que cassou seu registro e, consequentemente, anulou as eleições municipais.

Mas todos os soldados tiveram suas licenças de descanso suspensas decorrente do tiroteio político/jurídico. A notícia explodiu a noite, embora o cheiro de pólvora do pavio já estivesse sendo sentido durante todo o dia. Como a decisão foi tomada pelo juiz Silas Silva Santos cinco minutos antes do fechamento do cartório eleitoral, a cidade ficou em suspense. Se Vinícius não reverter essa situação novas eleições ocorrerão no começo do próximo ano. Segundo a legislação, elas devem ocorrer no primeiro trimestre. Neste ínterim o presidente da Câmara Municipal assume a administração de Marília. Por lá as coisas não andam tão calmas também com a possibilidade do atual presidente, Yoshio Takaoka, acusado de compra de votos, ser cassado também. O tiroteio parece mais político que jurídico.